"... manda-me ir ter contigo por cima das águas. E ele disse: Vem"  Mateus 14:28b, 29a

Depois de ter sido chamado por Cristo, muita coisa certamente deve ter mudado. Agora, nos deparamos com as marcas da nossa fé em Cristo. Marcas que são provas suficiente de que aquele que nos chamou de fato está muito mais presente do que pensávamos. Se Pedro ainda tinha dúvidas, neste momento elas iriam se dissipar por um simples "VEM" de Cristo.



Qual a importância da fé na vida cristã?

O escritor de Hebreus centraliza a fé na pessoa de Cristo e questiona a pessoa que se aproxima dele dizendo: "Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam". (Hebreus 11:6). Nas cartas de Paulo aos Romanos encontramos que "o justo viverá por fé" (Rm 1:17). Ou seja, o que matém os justificados vivos é a fé em Cristo. Já Tiago alerta para que a nossa fé não tenha um fim em si mesma, ou seja, fé por fé. Por isso em Tiago as obras devem acompanhar aqueles que têm fé:  "Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma." (Tiago 2:17).



Por definição...
"... a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. (Hebreus 11:1)

Se fé é certeza, então a maior delas deve estar centrada na pessoa de Cristo e na sua obra por nós na cruz. Esta certeza deve vir acompanhada da esperança da sua volta. Por ter esta certeza e esperança, somos encorajados a perseverar e vencer os obstáculos, olhando sempre firme para Cristo.

 
Lançada esta base, mesmo em tempos de tempestade ou mar agitado, esta fé sempre nos levará para mais perto de Cristo, e as obras testificarão o que dele havíamos ouvido.


Durante a caminhada de Pedro sobre as águas, é possível pensar em pelo menos duas certezas de fé que revelam o caráter de Cristo.


 
Uma é que pelas obras da fé temos a prova concreta de queCristo é de fato a pessoa capaz de cumprir com todas as promessas feitas. A outra é que só ele pode estender as mãos para salvar quando humanamente não há mais nada a se fazer.



Da mesma forma, esta afirmação sobre Cristo nos deixa pelo menos três marcas: a primeira é a de ver o impossível acontecer. A segunda é ter coragem de arriscar a própria vida para ousar sair do comodismo e ir um pouco mais longe. A terceira é a marca do naufrágio, da falta de fé por deixar-se ser seduzido pelos obstáculos encontrados no caminho.





No entanto, a que mais se destaca em toda a trajetória na experiência de Pedro é o clamor!

Mesmo em sua falta de fé, Cristo estava pronto a estender as mãos para salvar Pedro quando clamou por socorro.






É preciso fé e ousadia para dizer: "Manda-me ir onde você está".  No entanto, ela também deve vir acompanhada de muita humildade para mais tarde não ter vergonha de clamar dizendo: "socorre-me".
Harry Érick

Postagens mais visitadas deste blog

Uma Luz na escuridão

"O SENHOR pelejará por vós"

Pessoas de Pessoas