Deus é amor, e vive-versa

 Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele” 1 João 4:16 (NVI)


Vivemos em uma sociedade onde a cada dia que passa, nossos governantes se distanciam cada vez mais de Deus e a sua Palavra. Na sociedade, hoje falar de amor é falar de sexo. Tal atitude deve-se por conta de uma releitura desinteressada, sem temor a Deus e a sua Palavra. Por isso muitas pessoas estão sendo prejudicadas e literalmente estão morrendo ou matando por causa deste tipo de amor.


Muito diferente do que se têm vivido, o amor de Deus por nós parte de uma atitude consciente, medida e planejada.


O AMOR É CONSCIENTE
Por conta do pecado, Deus desejou ardentemente que o ser humano voltasse a ter este relacionamento pessoal e íntimo com ele.

O amor de Deus é consciente do estado em que o ser humano se encontrava por conta do pecado. Isto leva a uma atitude consciente de fazer algo a seu favor. Deus não viu outra maneira se não entregar seu único filho em favor de nós. Este foi um ato consciente, medido e planejado. Toda a trajetória de Deus é contada a partir do seu amor na criação, e depois da queda, do seu desejo em trazer a humanidade de volta para casa. É o que vemos em João 3:16, onde João diz que Deus amou o mundo de tal forma, sobremaneira, ou seja, ninguém além de Deus poderia amar do jeito que ele amou. 
Nisto vemos a nítida diferença do amor apaixonado que temos ouvido falar por aí por meio das músicas e outros meios de comunicação. Um tipo de amor inconsciente e inconsequente. Sem limites, sem virtudes, sem graça.
O AMOR FAZ BEM E TRAZ VIDA

A atitude de Cristo em fazer parte deste plano redentor do Pai trouxe vida a todos àqueles que crêem. Tanto foi bom para a humanidade como também para Cristo, apesar do sofrimento e da cruz. Isto nos mostra mais uma vez que o amor deve ser uma atitude consciente, medida e planejada. E a conseqüência deste amor, desta atitude deve gerar vida. Quem ama quer ver a outra pessoa vivendo melhor do que está, num âmbito físico, material e principalmente espiritual.

Relacionamentos baseados em sexo, carência, materialismo, ou qualquer outra coisa que não seja o temor a Deus e a sua Palavra tende a naufragar.




 


Cristo nos amou e se entregou na Cruz por amor a nós. Foi duro, foi difícil, foi trágico. Isto nos mostra também que o amor é sofredor, é paciente. Sabemos que isto nos trouxe grande benefício, mas que benefício isto proporcionou a Cristo?

“E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai” Filipenses 2:8-11

Se o que você está pensando em fazer por amor causar o mesmo efeito que Cristo causou, então vá enfrente. Caso contrário, desista desta idéia, busque outro caminho, Deus certamente te honrará.
O AMOR É DEPENDENTE

Jesus em nenhum momento fez o que queria, mas se submeteu a vontade do Pai em amor. Cristo foi tão submisso ao Pai que eram apenas um. O que o Pai fazia era o que Cristo fazia também (João 14:10).

Se não estamos em Cristo, nada podemos fazer (João 15:5). Uma vez que abandonamos nossos valores, princípios e fé, ou melhor, uma vez que excluímos Deus da nossa vida e resolvemos seguir do nosso jeito, as coisas vão de mal a pior.

ASSIM...
A pergunta que fica no ar é: Como anda o seu compromisso com o Amor, ou seja, com Deus?

Falar de amor é lembrar de Deus. Falar de Deus é falar de amor, porque Deus é amor, e vice-versa.
Harry Érick =) 

Postagens mais visitadas deste blog

Uma Luz na escuridão

"O SENHOR pelejará por vós"

Identidade Cristã