A fragilidade humana e a Supremacia de Deus

O texto de I Reis 17:9-24 mostra uma crise que começou devido à escassez de chuva. Neste sentido, vemos a importância da água para a sobrevivência humana. Sem água, não há como regar as plantações, e os animais morrem. Sem água, dificilmente a vida permanece. Esta escassez não afetou apenas esta ou aquela pessoa, classe social, raça ou crença, mas todos sofreram com a escassez e com as crises que se instalaram no país. No entanto, o texto também mostra um Deus que nunca deixou de guiar e de cuidar daqueles que o temem e o busca.

O texto mostra a ineficácia de um governo sem Deus

Levanta-te, e vai para Sarepta, que é de Sidom, e habita ali; eis que eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente. 1Reis 17:9

Num primeiro momento, vemos uma crise instaurada por meio do sistema político e econômico. O direito da viúva e dos órfãos foi uma lei  instituída por Moisés e adotada pelos demais reis e governantes, tanto no Antigo, como no Novo Testamento. Não só neste texto, como também em vários outros textos bíblicos este direito vem sendo violado. Isto mostra que, mesmo havendo leis ou um sistema político e econômico forte e bem organizado, este sistema sempre apresentará falhas, lacunas e passivo de corrupção. Este sistema não foi suficiente para garantir o direito de uma pobre e simples viúva em momentos de escassez, quanto mais deter os danos feitos por uma simples falta de chuva. Parece até uma ironia de Deus dizer para uma viúva pobre e sem condições suprir a necessidade do profeta. Porém, Deus quer nos mostrar que ele é soberano e que o poder é dado por Deus em benefício do povo. Neste sentido, o texto quer exaltar a Deus acima de qualquer poder humano. O que o Estado, sistema político ou religioso não pode suprir, Deus pode. Contudo, o texto não quer descartar tais sistemas, no entanto, colocá-los abaixo de Deus. Vemos aqui Deus preenchendo as lacunas, as falhas humanas do seu sistema.

O texto mostra a fragilidade humana

Vive o SENHOR teu Deus, que nem um bolo tenho, senão somente um punhado de farinha numa panela, e um pouco de azeite numa botija. 1 Reis 17:12a.


O filme "O Livro de Eli" retrata isso. Shampoo, sabonete, energia, comida, roupa, calçado e principalmente água. No filme, o momento é de miséria, escassez e pobreza devido às guerras que assolaram o mundo. É uma época onde o que antes era desperdiçado, agora é supervalorizado. No texto de I Reis 17 mostra que bastou não chover por algum tempo para causar uma crise no país inteiro. Isso não descarta o auxílio e o benefício que as riquezas e os recursos materiais pode nos proporcionar, mas confronta a confiança exagerada nesses recursos de modo a pensar que eles nunca vão se esgotar.

O texto mostra que só Deus é capaz de dar vida

E depois destas coisas sucedeu que adoeceu o filho desta mulher, dona da casa; e a sua doença se agravou muito, até que nele nenhum fôlego ficou. 1 Reis 17:17

Como se não bastasse, morre o filho desta viúva. Nesta perspectiva, vemos a fragilidade humana. Ainda que os recursos de alguma forma pudessem ser inesgotáveis e o sistema político e econômico forte o bastante para garantir o direito de cada cidadão, nenhum é capaz de trazer vida àquele que está morto. Somente Deus é capaz de ressuscitar. Nem mesmo a tecnologia ou os avanços da medicina podem fazer algo por quem está morto. Mas Deus pode! Ele quem soprou em nós o fôlego da vida. Ele ressuscitou a Cristo e venceu a morte. Devido ao avanço da tecnologia, da medicina e outros avanços deste século, por meio deste texto vejo que somos confrontados em relação a nossa falta de fé em Cristo, falta de credibilidade na Palavra de Deus e na vida eterna.

Neste texto, Deus nos mostra o quanto somos dependentes dele. Também mostra que Ele faz com que pessoas e coisas participem deste milagre e salvação. Ele garantiu o direito da viúva; supriu a necessidade não só da viúva, mas também de um  estrangeiro; ressuscitou o filho da viúva e foi glorificado por todos naquela casa.

A mensagem da cruz não é algo ultrapassado. Nem tão pouco descartável. É real, atual e poderosa para salvar vidas. A pior escassez que podemos passar nesta vida é a de Deus. Muitos por conta dos prazeres desta vida, estão mortos para Deus. Outros, porém, perseveram fielmente em Cristo, guardando a fé e dando testemunho da palavra de Cristo. Mas esta não é uma tarefa fácil. A cada ceia tenho a oportunidade de dizer: Senhor, eu creio! Pode contar comigo. Eis-me aqui, usa-me como instrumento de salvação.


Passamos por todas estas etapas, e em todas Deus nos mostra, que onde somos falhos, Ele se mostra perfeito. Onde não há esperança, Ele supre. Onde a morte para nós é o fim, em Cristo é vida  eterna e abundante.

"Buscai enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto"
Isaías 55:6.

Harry Érick

Postagens mais visitadas deste blog

Uma Luz na escuridão

"O SENHOR pelejará por vós"

Identidade Cristã