Prática de oração


"E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. Lucas 22:39,41,42



Esta foi a situação mais difícil em que Jesus se põe a orar. Oração faz parte da vida e do ministério de Cristo. A todo instante estamos sendo pressionados e desafiados a fazer alguma coisa diante de alguma situação. Porém, antes de tomar alguma providência a respeito, Jesus nos ensina a orar. Ele nos ensina a buscar a vontade do Senhor, a confiar nessa vontade e também a sair do nosso quarto de oração, encarar os desafios e medos confiados de que o Senhor estará nos ajudando e fazendo pelo melhor.



"Jesus nos ensina a orar, a conversar com o Pai de maneira franca e honesta. "

Não estamos acostumados a perder o controle de situações. Entendo que às vezes não é fácil ter que admitir o fato de que não sabemos o que fazer, como fazer ou por onde começar. Não é fácil também ter que encarar a dura realidade da vida, tais como: doença, falta de trabalho, perdas, entre outras. Não é fácil, porém é preciso e necessário. Jesus sempre esteve muito bem consciente em relação ao desafio da cruz. Não se pode negar a realidade dos fatos nem brincar com a realidade da vida. A negação é contrária a fé cristã. Por isso Jesus nos ensina a orar, a conversar com o Pai de maneira franca e honesta. Jesus nos ensina a colocar para fora nossos medos, angústias, conflitos interiores e também nossos desejos e expectativas. A prática de falar com Deus deve, em primeira instância, nos ajudar a vencer o desespero e a colocar os pés no chão sobre quem somos e o quanto somos dependentes do Senhor.



"...e, pondo-se de joelhos, orava" 

Ajoelhar-se não deve ser apenas uma atitude física ou religiosa, porém, uma disposição do coração, um ato de humilhação e submissão. Mesmo sendo Deus, Jesus não agiu como Deus, mas sim como Ser Humano, submisso e dependente. Jesus tinha poder para resolver a situação conforme a sua vontade, porém preferiu ser humilde, reconhecendo sua dependência do Pai. E por mais dura que fosse a realidade da cruz, Jesus estava disposto a se submeter à vontade de Deus Pai. O ato de ajoelhar-se para orar e a agonia que sofreu demonstra essa humildade e submissão. Contudo, o que comprova esta atitude é a sua entrega e perseverança no caminho e na vontade do Pai. Ajoelhar-se em oração é entregar nossas armas, nosso querer para se dispor, mesmo tendo desejos e vontades, a caminhar de acordo com a Palavra de Deus. 


"Pós-oração"

O "depois da oração" nem sempre é o que se espera. Às vezes nos esquecemos que oramos "seja feita segundo a Sua vontade". Você se levanta depois da oração e o que mudou? Você olha ao redor e tudo parece estar do mesmo jeito. Muitas vezes estamos enganados pensando que é a situação quem precisa mudar. Mas é verdade que às vezes ela muda. Contudo, o que Jesus parece nos ensinar aqui sobre oração e resposta de oração é que, mesmo tendo anseios e vontades, desejando com que as coisas sejam favoráveis, ele nos mostra que é preciso ter muita fé e confiança para lidar com o que vêm, da maneira como se apresenta. Quando terminou de orar, logo chegaram os soldados romanos. Perguntaram então: Quem é Jesus? Ele mesmo disse sem exitar e com confiança: "Eu sou Jesus a quem procuras" João 18:4,5
Harry Érick

Postagens mais visitadas deste blog

Uma Luz na escuridão

"O SENHOR pelejará por vós"

Pessoas de Pessoas