Preocupação



A preocupação demonstra falta de fé atuante na vida de qualquer pessoa. Ao se preocupar, assumimos responsabilidades que nunca foram nossas. Jesus nos advertiu várias vezes: "NÃO VOS INQUIETEIS" (do Grego:.Merimneo, lit. "Dividir a mente"), mesmo com relação às necessidades básicas da vida. (Mt 6.25-34).

Nossa preocupação divide nossa mente entre coisas úteis e prejudiciais. Ficar inquieto não muda e nem transforma a realidade (Mt 6.27). Preocupar-se, além de não mudar a realidade dos fatos, nos tira da presença de Deus. Uma vida equilibrada parte da nossa confiança e esperança no Senhor. Quando nos ocupamos além da nossa capacidade com coisas ligadas ao nosso cotidiano, dá-se então o desequilíbrio e por consequência, falta de fé. (Mt 6.31).


A preocupação é sufocante, consome nossa energia tentando elevar a força humana acima da de Deus. Ocupando-nos demasiadamente com os problemas, perdemos o foco de Deus, do seu amor e poder. A preocupação é o oposto de fé, e o ato de preocupar-se sugere que Deus não é digno de confiança para cuidar de nossas vidas e suprir nossas necessidades (Fl 4.9).





Portanto, o caminho que vai da preocupação à fé começa com o RECONHECIMENTO da nossa limitação e da nossa dependência de Deus. Depois, com a CONFISSÃO do nosso pecado e falta de fé. Segue então com a nossa LIBERTAÇÃO (Sl 34.4) e por fim com a certeza de que nada e nem ninguém poderá separar-nos do AMOR de DEUS  (Rm 8.35).





Ofereçamos a Deus livremente ações de graças vindas de um coração firmado na fé em Deus como Todo-Suficiente. Com fé e gratidão vamos conseguir ter uma vida menos atribulada de preocupações.
Loren Barreto de Paula

Postagens mais visitadas deste blog

Uma Luz na escuridão

"O SENHOR pelejará por vós"

Pessoas de Pessoas