Crescendo JUNTOS na fé


"A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração". Cl 3:16


Temos estudados as cartas de Paulo durante estes meses nos cultos nos lares. Algo que me chamou a atenção nos capítulos 4 e 5 de Tessalonicense, e depois observei também em Filipenses e Colossenses, a insistência de Paulo em mencionar algumas vezes em suas cartas o “uns aos outros”, “mutuamente”. Perece que há por parte de Paulo um desejo de ver as comunidades crescendo de maneira recíproca e uniforme.

Tenho lembrança de uma instrução no tempo em que servi o Exército Brasileiro. Esta instrução falava sobre não deixarmos o companheiro para trás em hipótese alguma. No Exército Brasileiro, lembro que eu era líder de um grupamento e tínhamos tarefas para cumprir. Estas tarefas deveriam ser cumpridas com hora marcada. Não poderíamos extrapolar o tempo e tínhamos que entregar as tarefas com todos os integrantes do grupamento juntos, sem falta.

Em certa ocasião, estávamos com o horário quase extrapolando. Tínhamos terminado a tarefa, no entanto, era preciso apresentar todo o grupamento em forma ao oficial. Para cumprir esta meta tínhamos que ir correndo para chegar a tempo de apresentar a tarefa pronta com todo o grupamento em forma e sem falta.

Tínhamos no grupamento um amigo que estava com dificuldades para andar. Tive que tomar uma decisão difícil e importante: apresentar a tarefa pronta no horário, no entanto com uma falta no grupamento. Ou apresentar a tarefa pronta com todo o grupamento, só que no horário ultrapassado. Ao lembrar de da instrução que tivemos sobre não deixarmos um amigo para trás, consultei os companheiros do grupamento e fomos unânimes na decisão. Colocamos o amigo nas costas e chagamos todos juntos com o risco de sofrer alguma penalidade por apresentar a tarefa fora do horário previsto. Apresentamos então a missão cumprida, porém atrasados. O oficial reparou no atraso, contudo, elogiou o grupamento pelo espírito de corpo e companheirismo em não deixar o amigo para trás.


Dessa mesma forma, vejo que a proposta de Paulo é uma proposta pastoral de acordo com 1Pe 2:9. É o exercício sacerdotal que cada um foi chamado para exercer no seio da Igreja do Senhor. Um corpo que se relaciona e se conhece, que compartilha e se ajuda. Assim, uns aos outros, crescendo juntos na fé.
Harry Érick

Postagens mais visitadas deste blog

Uma Luz na escuridão

"O SENHOR pelejará por vós"

Identidade Cristã